sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Carnaval de Pernambuco registra queda no número de homicídios

Queda no índice de Crimes Violentos Letais e Intencionais foi de 11,5%.
Crimes contra patrimônio, como roubos e furtos, tiveram acréscimo de 8%

Secretaria de Defesa Social de Pernambuco faz balanço do carnaval 2012 (Foto: Luna Markman/G1 PE) 
Coletiva da SDS sobre balanço do carnaval 2012.
(Foto: Luna Markman/G1 PE)
Em balanço divulgado na tarde desta quinta-feira (23), a Secretaria de Defesa Social (SDS) de Pernambuco registrou queda de 11,5% no número de Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLI), em relação ao carnaval do ano passado no estado. O período considerado pela Gerência de Análise Criminal e Estatística (Gace) foi de 0h da sexta (17) até 24h da terça-feira (21). De acordo com informações do órgão, foram contabilizados 69 homicídios, nove a menos que em 2011.
Segundo a SDS, ao comparar os dados de 2006, início da série histórica, houve um decréscimo de 36% em todo o Estado. Naquele primeiro levantamento, foram notificados 92 homicídios. Considerando apenas o Recife, a queda foi de 36,8%, com 12 homicídios este ano contra 19 em 2011. Ainda de acordo com a Secretaria, em polos oficiais de carnaval, houve apenas dois homicídios, em Itamaracá e no Cabo de Santo Agostinho, ambos na última terça.
O secretário executivo da SDS, Alessandro Carvalho, comentou que a redução de crimes apresentada durante os dias de folia ficou próxima à meta estabelecida pelo Pacto Pela Vida, que é diminuir em 12% o número de CVLI. “Foi um carnaval muito tranquilo. Credito isso ao planejamento antecipado, começamos a trabalhar em outubro, e integrado com vários órgãos. Foi assim que conseguimos colocar câmeras de monitoramento em Olinda e fazer com que o carnaval em Ipojuca, por exemplo, terminasse à meia-noite”, disse.
O Grupo de Trabalho Carnaval 2012 da SDS tem 30 dias para concluir o relatório das atividades do órgão durante o feriado prolongado. "Com esse material, poderemos rever nossas ações e melhorar o trabalho em 2013, pois esse é o tipo de cenário que muda muito. Por exemplo, percebemos que a Praça do Arsenal precisa de mais policiamento, pois o público foi maior que esperávamos", falou.
Roubos e furtos
Crimes contra patrimônio, como roubos e furtos, tiveram um acréscimo de 8%, com 425 ocorrências em focos oficiais de folia. “O aumento foi pequeno e temos que levar em conta que as pessoas levam celular, carteira para brincar e, da plataforma, fica difícil o policial perceber o que acontece da cintura para baixo no meio da multidão”, falou o secretário.
Drogas e armas
Já o número de crimes relacionados com drogas, como porte, uso e tráfico de entorpecente, teve uma redução de 27%, com 62 casos. Foram apreendidos 151 pedras de crack, 65 papelotes de maconha, 34 papelotes de cocaína e 79 tubos de cola. A polícia também recolheu armas brancas e de fogo durante o carnaval, totalizando 64 peças, número 46% menor que o ano passado.
Trânsito
O 1° Batalhão de Trânsito notificou 629 motoristas durante os quatro dias de folia. Documentação irregular do veículo e do condutor foi a maior causa de autuação. “Este ano, intensificamos o policiamento, com mais policias nas ruas e blitze em lugares estratégicos”, explicou a major Hélida Figueirêdo.
Trote
Os números 190 e 193 receberam 77.954 ligações, que resultaram em 13.425 ocorrências. O que chamou a atenção da SDS foi a quantidade de trotres: 4.362. “Quando a gente atende um trote, uma ocorrência de verdade deixa de ser atendida. Isso é muito sério. Nós listamos as dez pessoas que mais passaram trotes e vamos entrar com um procedimento policial contra elas. Em um dia, teve uma pessoa passou 232 trotes”, disse o secretário Alessandro Carvalho.

 

R E C O M E Ç A R E TransF O R M A R

Pois ser mestre é isso: ensinar a felicidade”  Rubens Alves Gestor(a) Vice Gestor(a), Secretário(a) Aux. de Secretaria Coordenador(a), Prof...